8 dicas para impulsionar as vendas online no dia dos namorados - Cryah

8 dicas para impulsionar as vendas online no dia dos namorados

8 dicas para impulsionar as vendas online no dia dos namorados

Serasa Experian oferece dicas para quem apostar no e-commerce para dar aquela impulsionada nas vendas em uma data importante para o varejo

Passados o Natal e o Dia das Mães, é hora de aguardar outra data importante para o varejo nacional: o Dia dos Namorados. Como tem forte apelo emocional, a data leva muitos consumidores às compras, mesmo em um cenário econômico complicado como o atual.

O e-commerce tem ampliado sua participação nas vendas em datas especiais e, para ajudar os varejistas a impulsionarem as vendas online, os especialistas da unidade de marketing da Serasa Experian juntaram dicas importantes. Segundo eles, o varejo online pode ampliar o faturamento nesta data se aplicar planejamento, que una conhecimento do seu público, preço e segurança.

Para o gerente da Serasa Experian, Fernando Rosolem, conhecer bem o seu público consumidor é uma das chaves para o sucesso. “É essencial direcionar a mensagem certa, criar ações de marketing digital, atrair mais consumidores e fidelizar clientes, tudo isso pautado pela segurança em todos os canais de venda”, ressalta Rosolem.

Confira as dicas:

1 – Conheça o seu público

Uma grande vantagem do digital é que você pode facilmente utilizar sua própria base de dados para saber quem é o seu público. Você sabe, por exemplo, qual a idade média das pessoas que se relacionam com sua marca? E o que os consumidores mais ativos costumam procurar no seu site? Quanto do seu público vem da classe A, B e C? Dados assim ajudam o seu comércio a entender as necessidades do seu consumidor e até antecipar necessidades que ele ainda não sabe que vai ter.

2 – Invista na qualidade dos dados

O próximo passo para obter sucesso em conhecer o público é cuidar da qualidade dos dados que serão utilizados nesse processo. É preciso ter cuidado de manter as informações organizadas, unificadas, disponíveis e, claro, atualizadas.

3 – Aposte na segmentação

O próximo passo é usar a capacidade de segmentação de público e criar comunicações personalizadas para interagir de forma eficiente com cada um. Nem pense em sugerir os mesmos presentes, por exemplo, para pessoas que tenham idade e gostos completamente diferentes umas das outras.

4- Pratique preços competitivos

A decisão de compra está também no valor do produto. Utilize uma solução de precificação inteligente, monitore a concorrência e, desta forma, terá insights sobre as melhores oportunidades de subir ou baixar os preços.

5- Prepara-se para o atendimento multicanal

Ter um bom relacionamento com o consumidor é essencial. Para isso, é imprescindível estar presente em diversos canais, a fim de atender o cliente da forma que ele precisar.

6- Faça campanha de marketing digital

Não basta apenas montar uma boa estratégia de preço, tecnologia de ponta e canais de atendimento, é preciso trazer o cliente para dentro de casa. Invista em posicionamento, SEO, links patrocinados, redes sociais e e-mail marketing e aumente a chance de sucesso de vendas.

7- Preze pela segurança

Independentemente do porte do comércio eletrônico, é importante utilizar um certificado digital de servidor para garantir que os dados inseridos na transação (como número do cartão, por exemplo) sejam protegidos por protocolos de segurança SSL (Secure Sockets Layer), que estabelecem uma conexão criptografada na transmissão das informações do consumidor.

Lojas que possuem este certificado podem ser identificadas, pois têm o http do endereço acompanhado de um “s” no final (https). Há ainda certificados que ativam um destaque em verde na barra do navegador, sendo facilmente reconhecido pelo visitante do site. Um ambiente seguro gera menos interesse de fraudadores e mais confiança do consumidor.

8- Utilize ferramentas antifraudes

No e-commerce, não basta avaliar o risco de fraude apenas com a consulta ao CPF utilizado na compra. É preciso levar em conta outros fatores como o dispositivo utilizado pelo comprador (computador, tablet, smartphone ou TV), cidade, estado e até país de onde vem a compra. Para isso, existem ferramentas antifraude específicas que criam regras capazes de apontar fatores suspeitos como, por exemplo, o uso de sites de tradução para realização da compra, que pode indicar fraude internacional. A ferramenta emite um alerta quando o comportamento suspeito é identificado.

Fonte: NOVAREJO

Leave a comment

Your email address will not be published.